Carta a um(a) jovem cardiologista

Ecocardiografia ainda é uma boa área de atuação

Os melhores postos de trabalho não estão todos ocupados

É possível empreender com

Pouco capital e ter um aparelho próprio ou em sociedade

Os valores por exame são inferiores hoje mas os exames são mais rápidos e com alta taxa de normalidade ou baixa complexidade

Não parece provável que a curva de aumento nos pedidos seja modificada dada a utilidade e facilidade do método.

Principalmente em grupos, serviços de ecocardiografia tendem a gerar bom faturamento e um controle rígido dos gastos pode levar a lucro substancial, além de pró-labore.

Uma enorme vantagem do método é a ausência de gastos fixos de manutenção e apenas reparos na máquina, que fora da rede, podem ser bem em conta.

Sem necessitar de preparo, é um exame que pode ser encaixado facilmente.

Tudo favorável a um

bom volume de exames por mais alguns anos.

E as outras áreas de imagem? Dependerão sempre de máquinas milionárias e de contratos de manutenção extorsivos.

Mas podem ser um bom emprego também.

No Brasil, só 25% dos médicos são proprietários (sócios) do local onde trabalham. Para um profissional liberal, é uma fração bem baixa.

A ecocardiografia permite ao cardiologista ter sua participação no laboratório de imagens e exercer também a profissão fora do circuito funcionário privado ou público.

Um comentário em “Carta a um(a) jovem cardiologista

  • É um excelente instrumento na sala de emergencia e uti , mudando conduta e prognostico dos pacientes. ¨point of care¨, na minha modesta opiniao, deve ser incentivado aos ecocardiologistas

Deixe uma resposta