TEMPO PELE-TRANSDUTOR 1

Essa semana o assunto volume de ecos foi frequente.Enquanto um colega contava ter feito 30 exames em uma manhã com orgulho, outro colega criticava um terceiro por fazer 600 exames por mês!
Existe uma diferença entre rapidez e eficiência que permite fazer exames com qualidade.
O fundamental é não mexer no tempo de transdutor na pele, o exame com imagem deve durar o tempo necessário para o diagnóstico.
Agora,existe uma larga margem de tempo a ser cortado entre um exame e outro,
de modo que, sem mexer no tempo pele-transdutor, pode-se ir de 2 para 5 exames por hora!
continua…

No AVC, o Eco vê o quê?


Frequentemente somos chamados a analisar o coração como fonte emboligência.
Veja no quadro acima que o coração é o culpado em menos de 20% dos casos.
As perguntas são: Que tipo de eco foi realizado?
Viu o septo interatrial, têm aneurisma? é patente?
E a aorta ascendente? Tem ateroma? No arco aórtico?
Viu a auriculeta? e por aí vai…
Mais capricho no exame, a vida útil do ecocardio depende do zelo dos ecocardiografistas!

Bradesco paga pelo contraste.


Boas notícias para quem gosta de ecocardiografia.
O Bradesco agora paga o exame com microbolhas e paga em separado o frasco de microbolhas!
Você não precisa mais pagar do bolso para ter sua ressonância de consultório!
Veja as instruções e procure na tabela dos procedimentos do Bradesco para ter os códigos.
Abraço

ANÁLISE DE ECOSTRESS -Continuação

Acima, uma foto da Universidade e seu HC, vistos de cima no Google Earth.
Abaixo, mais um filme mostrando a análise da contratilidade do ponto de vista global.
Sempre do todo para o detalhe, sensibilidade para especificidade.

veja aqui

Ressonância de consultório


(Esse é em homenagem ao amigo Tavico)
Paciente de 50 anos com massa atrial direita a esclarescer.
Dificil definição apenas com a imagem da origem da massa.
Realizamos o exame com contraste de microbolhas, nossa ressonância de consultório!

veja aqui o filme

Trocando Color por Fisiologia


Caso:
Paciente fem. 65 anos, história de dispnéia aos esforços há 1 ano porém com piora progressiva há 10 dias.
Apresentou-se ao PA com instabilidade hemodinâmica e estertoração pulmonar bilateral até campo médio.
A ausculta mostrava sopro sistólico mitral 4/4.
Diagnóstico:
Edema agudo de pulmão por valvopatia crônica com piora recente, ruptura de cordoalha?
CLIQUE AQUI