O peso de ser um ecocardiografista responsável: Refluxo Mitral

1A.jpg

.

http://www.onlinejacc.org/content/70/2/252?_ga=2.216305238.1506705749.1500033675-1630793714.1499687587

.

Um artigo usado na diretriz que chama a atenção.

.

1b

.

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0022522314010009?via%3Dihub

.

A responsabilidade de indicar uma troca Mitral agora recai sobre o ecocardiografista.

Um exame confiável, bem realizado, indica cirurgia em paciente assintomático.]

.

 

Deixe a Mitral vazar, leve a moderadamente.

  • 1A
  • After a randomized trial showed no clinical benefit of mitral valve repair among patients with chronic, moderate ischemic MR undergoing coronary artery bypass grafting, the LOE was changed from C (consensus) to B-R (moderate quality evidence from ≥1 randomized controlled trial [RCT] or meta-analyses of moderate-quality RCT) for the Class IIb recommendation for mitral valve repair in this population.

 

.http://www.acc.org/latest-in-cardiology/ten-points-to-remember/2017/03/14/18/26/2017-aha-acc-focused-update-of-valvular-heart-disease

É emocionante ouvir um cirurgião cardíaco descrever o reparo da valva Mitral .

Parece mágico.

Mas não é.

.

 

Strain: Fabricantes precisam uniformizar a análise!

1A

.

Intervendor Differences in the Accuracy of Detecting Regional Functional Abnormalities : A Report From the EACVI-ASE Strain Standardization Task Force

.

Conclusions

The accuracy of identifying regional abnormality differs significantly among vendors.

.

Vejam como a confusão de fabricantes no Strain favorece a concorrência!

Usam um método morfológico para avaliar um método funcional!!!

Não têm nada a ver…

A própria detecção de cicatriz varia de fabricante para fabricante de RM.

.

RM não pode ser usada como padrão ouro de deformação.

.

Apesar da metodologia criticável, a conclusão deprecia o STRAIN.

.

Por que não usaram o Strain da RM para comparar com o Strain do Ecocardiograma?

.