Carótidas : Valores quase exatos de um método sem exatidão.


1a

.

http://departamentos.cardiol.br/dic/publicacoes/revistadic/revista/2015/portugues/Numero_Especial/vol28_artigo%20especial_port.pdf

.

O documenta retorna à classificação detalhada da estenose a partir de 70%. O que não ocorre no consenso americano.

.

1b

.

O argumento abaixo é bom:

https://www.cetrus.com.br/aluno-artigos/estenose-das-arterias-carotidasdiagnostico-pela-escala-de-cinza-e-ultrassom-doppler

.

Reprodutibilidade é o Santo Graal dos métodos diagnósticos. Cálculos com 2D e Doppler são imprecisos por natureza e, consequentemente, não são reprodutíveis.

.

Será que essa mudança representa um ganho para o paciente?

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s