Acabou o amadorismo: Área da V. Aórtica


echo13589-fig-0001

.

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/echo.13589/full

.

Conclusions

Three-dimensional imaging confirms the LVOT is elliptical in most patients, resulting in underestimation of LVOT area and hence AVA when assessed by 2DTTE. Although 3DTEE approximated its LVOT measurements to those of MDCT, it still failed to recognize larger areas. Incorporating the planimetric area of the LVOT measured by MDCT into a modified continuity equation yielded significantly larger AVA values, with 24% of the patients in our study being reclassified from severe to moderate AS. In patients with discrepant echocardiographic criteria for AS severity, multimodality imaging may be useful for a more accurate assessment.

.

Destacamos frequentemente no site que a área valvar aórtica estimada ao 2D é um método ruim e não deve prevalecer. 

Reparem no formato da VSVE, não é um círculo!!!

.

A surpresa foi encontrar falha menor mas significativa, também no 3D.

.

As imagens colocadas no artigo sugerem uma definição mais clara ao método tomográfico.

.

Um em quatro pacientes foram reclassificados para estenose moderada após a Tomo!

.

Acreditamos que isto pode ser consequência do velho hábito de analisar tudo em 2D, mesmo usando o 3D.

.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s