Caros leitores, ecocardiografista também tira férias!

Caros leitores, amanhã deixarei de postar no blog, em uma pausa de 14 dias.Os alunos poderão se comunicar por email ou telefone da escola.(19 3232 9900)

Um grande abraço e feliz ano novo! Até dia 04 de Janeiro de 2008.

Mais uma de alta definição…

Veja isso, caso escolhido para congresso!

Motivo da bronca:
Dois docentes que haviam feito ecostress com resultados negativos foram para SP fazer TOMO de coronária para

tirar a dúvida!

Tomo normal para ambos, claro.
Claro, mas sem definição de imagem, como vocês podem ver.

TOMO 64: IMAGENS DE ALTA(???) DEFINIÇÃO !

Foto do Second Annual Scientific Meeting of the Society of Cardiovascular Computed Tomography
Washington, DC, July 6–8, 2007

VEJA O QUE ACONTECE QUANDO AMPLIAMOS A IMAGEM DA CORONÁRIA PARA VER REALMENTE O ESTENOSE!!!!

TOMO 64 com pós processamento absurdo = ilusão de nitidez!

Achado de placa, bom para o médico e para o paciente?

Does detection of carotid plaque affect physician behavior or motivate patients?
American heart journal Volume 154(6), December 2007

Conclusions: Ultrasound screening for carotid plaque in an office setting can alter physician treatment plans. Although the presence of plaque increased patient perception of cardiovascular risk, it did not motivate patients to make lifestyle changes.

Achado de placa na carótida motiva o médico a prescrever aspirina e estatina, mas não estimula de fato o paciente!
Motivação é o maior desafio no tratamento do risco cardio-vascular…

Carcinóide ao ecocardio

Bela revisão no Circulation.
Vi apenas um caso na UNICAMP mas acredito que podem ter passado alguns pois não valorizava os achado a direita no início da minha carreira de ecocardiografista.
Aí assisti a uma aula ” Ventrículo Direito, o ventriculo esquecido” e percebi que estava bobeando.
Hoje acho até que vejo embolias demais…
Abraço

Crianças e adultos!

Surpresa! 75% dos leitores fazem eco de crianças.
Confesso que ha 5 anos previ que apenas cardio-pediatras fariam exames de patologias congênitas…
Sei de algumas cardio-pediatras que sobrevivem de exames em adultos! Nada contra, mas não venham me criticar por fazer cardiopatia congênita!
Não têm eco infantil pra todo mundo na região de Campinas, então elas têm que fazer exames de infartados…
Abraço