Ecocardiografia na SOCESP 2008

O Professor Dr. Jorge Eduardo Assef, chefe da Seção de Ecocardiografia do IDPC e ex-presidente do Departamento de Ecocardiografia da SBC, participará da seção Evolução da Ecocardiografia: Complexidade do Treinamento. “Dentre os métodos diagnósticos em Cardiologia provavelmente nenhum desempenha papel tão relevante na atualidade como a Ecocardiografia”, pondera o médico.

Sua evolução, ao longo das últimas décadas, foi acentuada, sendo utilizada atualmente como ferramenta poderosa nas mãos de cardiologistas clínicos. Suas informações precisas permitem o manejo correto dos pacientes. A evolução nas modalidades do exame, desde o Modo M ao Eco Tridimensional, associada às novas tecnologias, tem tornado cada vez mais popular sua utilização, o que gera preocupação quanto à formação dos ecocardiografistas.

O Dr. Assef observa que muito embora algumas diretrizes já tenham sido publicadas neste sentido – normatizar o treinamento de cardiologistas que pretendem ser ecocardiografistas -, nem sempre as mesmas são seguidas. “Assim, devemos manter vigia e cobrança constantes para que um exame de importância capital seja realizado e interpretado por profissionais capacitados”, finaliza.

hummm, sei, entendo o que quer dizer, senhor ex-presidente do DEPECO.