Recordar é preciso (Convidados): Medir o derrame pericardico.

Avaliação ecocardiográfica no derrame pericárdico – Quantificação do derrame – Análise do “conteúdo” do derrame (através da sua ecogenecidade) – Repercussão hemodinâmica do derrame Nota: a medição do derrame faz-se sempre em telediástole, na zona anacogénica entre as duas membranas pericárdicas. Não esquecer de referir a localização da medição (ou medições) no relatório (ex: 12 mm, medição realizada em telediátole ao nível médio lateral) Enviado por Ana Feijão

Prefiro medir o derrame sempre no corte subcostal e usando o parênquima hepático como “anteparo”. Assim a imagem é mais estável e limpa, podendo ser reproduzida.

Um comentário em “Recordar é preciso (Convidados): Medir o derrame pericardico.

  • Olá, boa tarde. Gostaria de parabenizar o autor do post e o criador do blog, suponhamos que sejam as mesmas pessoas. Nós da equipe DMS Brasil trabalhamos com equipamentos cardiológicos e estamos muito satisfeitos com as informações encontradas por aqui.
    Visitem o nosso blog.
    Abraços.

Deixe uma resposta