O estranho e obrigatório mundo do Strain – I

Aqui, aula em inglês muito boa.
.

.

.

Vejam que para a mesma deformação, as velocidades de deformação variam!
.
A contração muscular ocorre mais ou menos como nas figuras acima. Como somos capazes de identificar 2 pontos no miocárdio, com o Doppler Tissular ou a marcação digital “speckle”, somos capazes de medir variações de comprimento e a velocidade das variações de comprimento.
.
Texto em inglês aqui.
.
Com aplicar no ciclo cardíaco?
.

.
O ideal seria medir o strain de cada miócito:

.
O que dá para fazer é isso, a deformação em uma inha do tempo:
.

.
O princípio é esse, marcar dois pontos, observar o encurtar e alongar no local.

.
Continua…

Deixe uma resposta