O mito da artéria Vertebral inencontrável


Ontem uma aluna fez seguinte pergunta no curso de Carótidas:

– Quando você não encontra a Vertebral, como você descreve?

.

Respondi que isso ainda não aconteceu, em mais de cinco mil exames.

.

Mas o pergunta remete ao “mito da Vertebral difícil”que existe entre os iniciantes do método.

.

Seguindo a técnica adequada, isso raramente acontece:

1- Esqueça o ColorDoppler inicialmente.

2- Alinhe a Carótida comum em seu eixo longo apoiando o transdutor na Clavícula do paciente.

3- Parado no mesmo ponto, puxe a cauda do transdutor para a Traquéia bem lentamente até ver as sombras acústicas dos processos vertebrais.

4- A Vertebral estará entre as sombras, é só ligar o ColorDoppler.

5- Não esqueça de regular  escala de velocidade do Color para aproximadamente 25 cm/s

6- Não achou? Repita o procedimento acima,  dois cm para cima.

7- Não mapeia `a  esmo com o ColorDoppler, siga a técnica.

8- Doppler de Carótidas é técnica, não é persistência.

.

Veja abaixo um belo caso de roubo.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s