Quem vê Carótidas, vê o coração.

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1936878X14004392?via%3Dihub

Conclusions

The controversy surrounding the usefulness of CIMT measurement in risk stratification appears to result from the lack of uniform methodology used in CIMT studies. Measurements of IMT at the carotid bulb and at the ICA are more useful than CCA-IMT, both for risk classification and risk prediction, likely because intimal thickening and plaques form at the bulb and at the ICA. Assessment of plaque burden is a better measure of atherosclerosis and CV risk than is a simple assessment of the presence or absence of plaques. Combined CIMT and plaque assessment appear better than either measure alone. 3D plaque volume correlates with CAC score. 

google T

Conclusões
A controvérsia em torno da utilidade da medição CIMT na estratificação de risco parece resultar da falta de metodologia uniforme usada nos estudos CIMT. As medidas de IMT no bulbo carotídeo e na ACI são mais úteis do que CCA-IMT, tanto para classificação de risco quanto para predição de risco, provavelmente porque o espessamento intimal e as placas se formam no bulbo e na ACI. A avaliação da carga da placa é uma medida melhor da aterosclerose e do risco CV do que uma simples avaliação da presença ou ausência de placas. A avaliação combinada de CIMT e placa parece melhor do que qualquer medida isoladamente. O volume da placa 3D se correlaciona com a pontuação CAC.

Deixe uma resposta