As placas de todos nós.


Foto de uma placa ulcerada na carótida comum de um paciente de 62 anos, hipertenso e dislipêmico.
As placas existem em grande quantidade em todas as artérias após os 35 anos.
Elas crescem e rompem ou rompem e crescem?
Parece que rompem e crescem na maioria das vezes( crescimento em saltos)
Uma placa com a acima solta 50 êmbolos por dia, todos os dias, em uso de AAS.

Deixe uma resposta