Carótidas: Longe da exatidão(2D), perto do interesse médico(3D).


1a

.

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1556858X11001149#gr1

.

Ninguém sério questiona a utilidade do exame por ultrassom das Carótidas.

Mas não é um método exato.

Não é possível fazer projeções de crescimento leve das placas com um método 2D.

O aguardado método 3D enfrenta o mesmo problema que o 3D Echo. 

Faltam professores abertos ao método!

.

Perdi a oportunidade de aprender ao vivo com o Prof Badano.

Em particular, gostaria de questioná-lo:

Como ensinar 3D com a muleta de 2D, como ele faz?

Qual o resultado?

Não vejo nenhuma estrela da ecocardiografia abordando o ensino 3D puro.

Não soube de questionamento ao método antigo (um olho no 2D e um olho no 3D).

A reclamação de custos do aparelho não serve para desculpar os professores.

Existem dezenas de exames de alto custo que são ensinados diariamente.

Centenas de RM e Tomo foram vendidas a preços muito superiores ao de um eco 3D.

Falta de repasse ou falta de indicação?

Como nossos professores desconhecem o método e nossos diretores ignoram a utilidade, por que haveria repasse?

Quero ver um exemplo de exame que é pago pelo convênio sem que a sociedade ligada ao método o defenda ferozmente.

3D não é um acessório como microbolhas, não faz parte do folclore de métodos de imagem.

3D é uma revolução.

.

Agora que o Eco de esforço no Brasil virou mania, está na hora de focar no 3D.

.

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s