Dispersão mecânica: Temos nossa própria RM para fibrose


gr2

.

http://www.onlinejase.com/article/S0894-7317(16)30676-9/abstract

.

Dispersão mecânica, apesar do nome que remete à fisica, é bem simples de entender.

.

Vejam na figura que é o tempo, a partir do inicio do QR no eletrocardiograma, até o pico do Strain.

.

Com o disparo da despolarização, o processo de liberar Cálcio e ativar a interação actina-miosina leva um tempo.

.

A contração das microfibrilas geram o encurtamento medido ao Strain, que têm um pico.

.

A hipertrofia, mesmo fisiológica, pode prolongar tempo acima.

.

Fibrose influencia marcadamente a dispersão mecânica, podendo ser comparada à RM em algumas indicações.

.

https://echotalkblog.com/2016/02/26/thor-e-a-dispersao-mecanica-avancando-nos-territorios-da-rm/

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s