Mundo médico em transformação

.

https://www.nytimes.com/2018/04/07/health/health-care-mergers-doctors.html#click=https://t.co/NglLhCDpoj

.

O médico está?

Nesta nova era médica de centros de atendimento de urgência e clínicas de varejo, essa não é uma questão simples. Nem tem uma resposta simples, pois os médicos de cuidados primários tornam-se cada vez mais escassos.

“Você liga para o consultório do médico para marcar uma consulta”, disse Matt Feit, um roteirista de 45 anos de idade que visitou um centro de atendimento de urgência oito vezes no ano passado em Los Angeles. “Eles só estão abertos de segunda a sexta-feira, desde essas horas até aquelas horas e, geralmente, não são as horas que estou livre ou preciso tirar uma folga do meu trabalho.

“Eu posso ir a qualquer momento para cuidados urgentes”, continuou ele, “e meu co-pagamento é exatamente o mesmo que se eu fosse ao meu médico primário”.

Essa é uma razão pela qual grandes empresas como a CVS Health, a rede de drogarias e, mais recentemente, a Walmart, gigante varejista, estão de olho em acordos com a Aetna e a Humana, respectivamente, para usar suas lojas para prestar assistência médica.

.

.

.

Reportagem muito interessante sobre as mudanças na

medicina americana

Os pacientes querem vagas sem esperar e no horário mais conveniente

Pagando o mesmo valor

.

As empresas já se adiantam e oferecem espaços para a medicina sem agendamento

.

Alguns anos atrás nos alertávamos sobre a necessidade de efetuar encaixes e atender imediatamente o pedido de exame

.

Sendo um exame sem preparo, o ecocardiograma pode ser encaixado instantaneamente

.

Nem tudo da medicina americana chega ao Brasil

Continuamos em um sistema misto de Europa/ América

.

Mas é bom começar a pensar.

Deixe uma resposta