Papel do Strain da Dissincronia


f1-large

.

http://www.echorespract.com/content/3/1/R1.full

.

Quando um método não é bom para prever a recuperação de função após uma intervenção, podemos questionar sua aplicação.

Mas também é válido questionar a intervenção realizada.

Quais são as evidências maiores de benefício com a ressincronização?

Vejam os números do estudo(48) com 208 pacientes:

Follow-up

The median follow-up was 4.0 years (IQR: 3.25 to 4 years). During follow-up, 38 patients (18%) died, 4 (2%) had a heart transplant, and 6 (3%) received LVADs. Eleven patients (5%) died during the first 6 months after device implantation.

.

Seguir por 4 anos pacientes com BRE e ICC cardíaca significativa e encontrar apenas 18% de óbitos? Com fração de ejeção de 24% e 200 ml de VE?

.

Acreditamos que a intervenção precisa melhorar antes de descredenciar o ecocardiograma ou valorizar apenas alguns achados como o “Flash do septo”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s