Ecoestresse é com a gente!

.

Gostei muito de participar da mesa acima

.

Prof. Wilson conduziu as aulas e perguntas de maneira inteligente e simpática, dividindo bem o tempo e os questionamentos

.

Prof. Gil, com quem trabalhei em 2001 em SP, mostrou as vantagens e desvantagens de cada modalidade com sua experiência longa no tema.

.

Prof. Vera mostrou casos interessantes de valvopatias com conduta definida ao Ecoestresse

.

Prof. Jorge foi por um caminho bem diferente na avaliação da isquemia. Em busca de avaliação quantitativa e usando Strain e modo M.

.

Prof. Ana apresentou novas aplicações do Ecoestresse e modalidades pouco empregadas mas com perspectivas interessantes.

.

Defendi o Ecoestresse em bicicleta horizontal, como era esperado, que ainda têm muito o que crescer em nosso país!

.

Strain: Muito futuro e pouco presente

.

Todo ecocardiografista que gosta do que faz se empolga com o Strain

.

Modalidade inteligente, bonita e de baixo custo.

.

Lembra o ColorDoppler em seu início?

.

Não acho, pois o colorido era bonito mas não dava informações novas.

.

Tem informações que só o Strain pode dar

.

No momento, estamos sem diretrizes e sem pagamentos para o método

.

Comprar um aparelho sem Strain?

.

Sim, ainda é possível fazer esta compra

.

O horizonte do Strain “obrigatório” foi afastado para três a cinco anos.

.

Troca aórtica em aula do DIC

.

Curiosa conferência com lanche no congresso

.

Hospital que já fez mais de 100 TAVR patrocinou aulas de troca valvar abertas ou fechadas

.

Sala lotada para procedimentos invasivos

.

O ecocardiografista do grupo foi muito correto na apresentação, seguindo as regras de uma boa indicação

.

O negócio “trocar válvula ” parece estar indo muito bem!

.