Torção de reserva

https://doi.org/10.1161/CIRCIMAGING.115.003029

Effect of Exercise

Exercise is also associated with increased contractility, thus, under normal conditions, is associated with a significant increase in both LVT and untwist (Table 2). Importantly, young healthy individuals possess twist reserve mechanisms, by which LVT increases significantly at incremental exercise loads.18 Exercise twist reserve is a mechanism by which the heart increases its pumping abilities to be able to meet the increasing metabolic needs with exercise. Long-term physical training reduces resting LVT and untwist, thereby increasing the range of exercise twist reserve mechanism.19 The type of training has varying effects on LVT. Endurance training (eg, marathon runners) increases all resting myocardial mechanics, including apical rotational velocity, LVT, and untwist with reduced age-related effects on twist–untwist mechanics.20 Strength training (eg, weight lifters), however, is not known to be associated with these differences. Exercise-related twist reserve becomes blunted by age and in the presence of myocardial dysfunction. In the case presented above, the inability to increase LVT with exercise suggests the loss of exercise twist reserve, which was further associated with the blunted untwist at peak exercise.

Efeito do Exercício
O exercício também está associado ao aumento da contratilidade, portanto, em condições normais, está associado a um aumento significativo tanto no LVT quanto na destorção (Tabela 2). É importante ressaltar que indivíduos jovens saudáveis ​​possuem mecanismos de reserva de torção, pelos quais o LVT aumenta significativamente em cargas de exercício incrementais.18 A reserva de torção de exercício é um mecanismo pelo qual o coração aumenta sua capacidade de bombeamento para ser capaz de atender às crescentes necessidades metabólicas com exercícios. O treinamento físico de longo prazo reduz o LVT em repouso e a torção, aumentando assim a amplitude do mecanismo de reserva da torção do exercício.19 O tipo de treinamento tem efeitos variáveis ​​sobre o LVT. O treinamento de resistência (por exemplo, corredores de maratona) aumenta toda a mecânica do miocárdio em repouso, incluindo velocidade rotacional apical, LVT e destorção com efeitos relacionados à idade reduzidos na mecânica de torção-destorção.20 O treinamento de força (por exemplo, levantadores de peso), no entanto, não é conhecido estar associado a essas diferenças. A reserva de torção relacionada ao exercício torna-se embotada com a idade e na presença de disfunção miocárdica. No caso apresentado acima, a incapacidade de aumentar o LVT com o exercício sugere a perda da reserva de torção do exercício, que foi ainda associada com a torção embotada no pico do exercício.

Deixe uma resposta