ICC com Fração de ejeção preservada: mortalidade


Prognosis of heart failure with preserved ejection
fraction: a 5 year prospective population-based
study
European Heart Journal (2008) 29, 339–347

Heart failure with preserved ejection fraction has a poor prognosis, comparable with that of HF with reduced EF, with
a 5 year survival rate after a first episode of 43% and a high excess mortality compared with the general population

A Falência cardíaca com fração de ejeção preservada é uma realidade.
Estudo prospectivo demonstrou impacto assustador na mortalidade, vale a pena ler.
Por mais que se critique a fração de ejeção como medida real da contratilidade, não podemos esquecer que o coração têm DUAS funções de real importância: Ejetar e receber o sangue!
Na definição do Braunwald “Manter o débito as custa de pressões venosas elevadas”, isto é, disfunção diastólica!

Deixe uma resposta