Onde queremos chegar com o 3D?


1A

.

Onde queremos chegar com o 3D na ecocardiografia?

Pois após 20 anos no US geral, o 3D ainda é usado só para o exame acima, na maioria absoluta dos casos.

.

Vejamos onde eles erraram:

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.7863/jum.2007.26.10.1279/full

.

1A.jpg

.

Em três de quatro imagens , eles usam o 2D.

Como nós no Eco 3D, usamos a muleta do 2D e o 3D fica apenas como um acessório, uma curiosidade.

.

Outro artigo chega a seguinte afirmação:

Conclusions. Follicle counts using 3D volumes were similar to 2D counts, and 3D follicle counts done by an inexperienced operator were similar to counts done by an experienced sonographer.

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.7863/jum.2009.28.10.1281/full

.

De novo, imagem com três 2D para um 3D:

1a

.

Como somos humanos, nossa história se repete.

Abandonar uma tecnologia que dominamos não é fácil.

Já queimamos máquinas de tecelagem, recusamos abandonar os cavalos e por aí vai…

.

Mas somos médicos, calçados em evidências científicas, procurando o melhor para o paciente.

.

Vamos imitar os ultrassonografistas e usar o 3D sem valorizá-lo adequadamente?

Nossos rostinhos de nenê serão a eterna representação 3D da Mitral e da via de saída do ventrículo esquerdo?

.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s