O futuro das valvulopatias já chegou


Hoje de manhã, tinha certeza que intervenções percutâneas em válvulas era coisa de país rico do hemisfério norte.

.

Isto foi antes de fazer amizade com vários colegas de Recife, Campo Grande, SP capital fora dos centros universitários e Rio de Janeiro.

.

Todos envolvidos em maior ou menor grau com as intervenções.

.

Disparou o alarme EchoTalk.

As intervenções percutâneas já chegaram ao Brasil e uma legião de ecocardiografistas procura ensino e prática

.

Só é possível ajudar em um procedimento com o treinamento adequado.

São muitos detalhes focados na intervenção e específicos para cada válvula

.

Presidente do DIC, Marcelo ajudou a abrir os olhos.

Leitores do blog EchoTalk:

Vamos ter que aprender.

É tempo de Mitraclip

Bem interessante a discussão de MitraClip

Muitas informações de técnicas e indicações em grupo que misturou cirurgiões, hemodinamicistas e ecocardiografistas.

.

Ficou claro que o laudo arroz com feijão nas valvopatias está com os dias contados

.

Vamos ter que informar muito mais pelo mesmo valor.

.

Por outro lado, hoje somos a linha divisória entre o tratamento clínico e a intervenção

Grandes poderes geram grandes responsabilidades

.

Lendo o livro de 3D

Physics and Technical Principles
of Three-Dimensional
Echocardiography

.

The backbone of the three-dimensional echocardiography
(3DE) technology is the transducer.

.

Para reduzir o consumo de energia e o tamanho da conexão
cabo, várias placas de circuito miniaturizadas foram
incorporada no transdutor, permitindo formação de feixe parcial
a ser realizado dentro da sonda.

Real-time imaging can be acquired in the
following modes

Live 3D

Live 3D Color

3D Zoom

Full Volume

Parte mais interessante do texto e fundamental para quem quer usar o 3D.

https://rd.springer.com/book/10.1007/978-3-030-14032-8#toc

.

Lendo o livro de 3D – 1

Além disso, historicamente, os fabricantes
equipamentos de ultra-som não dispunham dos recursos
necessário desenvolver e comercializar ferramentas de software.

Contudo, esse quadro mudou drasticamente na última década, como
muitos fabricantes, tendo percebido a necessidade de tais ferramentas, fornece hoje ferramentas de software cada vez mais abrangentes para análise de imagens ecocardiográficas 3D com suas imagens equipamento. Essas ferramentas permitem medições anatômicas que auxiliam os médicos no diagnóstico de processos de doenças e pesquisadores na coleta de informações que eventualmente constituam a base científica para diretrizes e normas oficiais

Somos um pouco mais críticos com os fabricantes, aparentemente mais interessados nas enormes margens de venda e manutenção das máquinas de TC e RM.

Só mesmo o transbordamento do mercado de máquinas pesadas para despertar os fabricantes para a máquinas da ecocardiografia 3D.

Não falta dinheiro no mundo se a perspectiva de lucro for grande.

As empresas desprezaram um mercado milionário em busca de ações de curto prazo e hoje correm atrás de novidades para salvar o caixa.

Mas vamos em frente, o 3D virou assunto oficial e promissor novamente.

.

BRE só ao 3D?

https://doi.org/10.1016/j.euje.2007.03.003

.

(Google translate)

Conclusão
Pacientes assintomáticos com BRE têm mais função global deprimida do VE do que os voluntários saudáveis; pacientes com sintomas de IC e um BRE têm disfunção global grave do VE. Os pacientes assintomáticos do BRE devem ter dissincronia mecânica intermediária; Pacientes com IC com um BRE têm a dessincronia mecânica mais severa. Uma quantidade substancial de dissincronia mecânica pode ser acompanhada pela presença de sintomas de IC.

.

Ejeção no BRE comparado ao 3D

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/echo.13758

Os volumes diastólicos do VE não foram significativamente diferentes, enquanto os volumes sistólicos foram subestimados pelo ecocardiograma 2D, sendo este achado mais pronunciado quando SDI ≥ 6%.

Conclusão
Nos pacientes com BRE e alto IDS (≥ 6%), os valores de FEVE foram superestimados e os volumes sistólicos foram subestimados pelo ecocardiograma 2D comparado ao ecocardiograma 3D.

.

Interessante achado de FE mais elevada no 2D.

Em comparação com o 3D, é claro.

Pois em comparação com o paciente sem Bloqueio, a FE custuma ser mais baixa ao Simpson.

.

Temos dúvida se esta redução é verdadeira ao 2D, mas agora, com a avaliação acima, pode ser que seja até uma variação discreta frente a realidade do 3D.

.