Microscopia com Strain

10554_2016_1022_fig2_html

.

https://link.springer.com/article/10.1007/s10554-016-1022-x

.

The accuracies were acceptable (71–80%) with modest sensitivities (54–65%) and high specificities (80–91%). The deformation response to vasodilator infusion was associated with the presence of CAD. Endocardial, midventricular and epicardial GLS and AFI from adenosine SE had similar diagnostic values. The specificities were high, but the modest sensitivities are a limitation to the clinical application.

.

1A

.

Vejam como a deformação longitudinal não responde adequadamente em isquêmicos.

O curioso é que sempre apontamos a região subendocárdica como a mais afetada por isquemia coronária.

.

Sendo assim, deveria afetar a deformação da região subendocárdica e nem sempre afetar a subepicárdica.

.

Pode ser a falta de acuidade do método, que não é microscópico.

.

Esta abordagem em laminas foi explorada por Thor mas sem continuidade. Não captamos o motivo da desistência dele.

.

O que sabemos é que o miocárdio torce e o espessamento ou encurtamento é secundário.

E em se tratando de contração, são vários vetores de deslocamento que não cabem na análise longitudinal.

.

Mas a linha de pesquisa é fascinante.

Deveriam optar por esforço ou no mínimo, dobutamina, para uma avaliação mais sensível da deformação.

.

 

 

Deixe uma resposta