2018. O ano em que seremos felizes

1a

.

O blog se despede de 2017 com muito otimismo.

.

Teremos a partir de Janeiro a honra de dividir o presidente com o Ecosiac.

.

Um ecocardiografista raiz, presidindo o país e a América Latina.

.

Alguém que domina a ecocardiografia 3D e escreve livros sobre novas tecnologias como o Strain.

.

Um presidente que publica em ecocardiografia, em suas diversas modalidades.

.

Ele terá dois anos para gerenciar o que nós chamamos de:

A melhor opção profissional da minha vida.

.

2018

.

O ano de ter orgulho de dizer que é ecocardiografista!

.

 

 

Strain da aorta. Estenose e insuficiência

echo13236-fig-0001

.

Aortic Valve Disease and Vascular Mechanics: Two-Dimensional Speckle Tracking Echocardiographic Analysis

.

http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/echo.13236/full

.

Conclusions

Quantitative measures of aortic mechanics were lower for AS patients, suggesting a more significant derangement of aortic elastic properties. In the context of AVD, vascular mechanics assessment proved useful in gauging clinical prognosis.

.

Estudo interessante mostra o efeito da insuficiência e da estenose na Aorta.

.

A marcante redução da distensão da Aorta na estenose pode ser vista claramente com o Strain.

.

Mais uma demonstração da utilidade do método.

.

 

Strain que não funciona? Troque de artigo

vascular-medicine-surgery-circumference-3-233-g001

.

Feasibility and relevance of compound strain imaging in non-stenotic arteries: comparison between individuals with cardiovascular diseases and healthy controls

.

https://cardiovascularultrasound.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12947-017-0104-9

.

Conclusions

In non-stenotic arteries, compound strain imaging is feasible, but does not seem to provide incremental discriminative power to traditional measures of vascular health for differentiation between individuals with and without a history of CVD.

.

Estudo pequeno não viu utilidade no Strain de Carótidas.

O próprio autor explica as limitações do estudo e não é possível chegar a uma conclusão.

.

A fisiopatologia é favorável ao Strain nas artérias.

Geralmente é só uma questão de tempo para a fisiopatologia se impor.

.

 

Betabloqueador na Estenose Aórtica

1a

.

1b

.

Metoprolol Reduces Hemodynamic and Metabolic Overload in Asymptomatic Aortic Valve Stenosis Patients

.

http://circimaging.ahajournals.org/content/10/10/e006557

.

Conclusions—In patients with asymptomatic AS, metoprolol increases systolic ejection time and reduces aortic valve gradients, global afterload, and myocardial oxygen requirements. Thus, metoprolol displays favorable hemodynamic and metabolic effects and could improve outcome in patients with asymptomatic AS.

.

Achados de pequena monta em estudo pequeno.

.

Não responde de forma definitiva : Devo usar betabloqueador na Estenose Aórtica?

.

Especulando:

Como diminui o gradiente máximo, deve diminuir o pico sistólico no fluxo da carótida interna.

Restaria o aumento do fluxo na diástole, feito por elevação da pressão diastólica.

.

As pressões sistólicas e diastólicas ficaram iguais entre os grupos, mesmo com 100 mg de Metropolol.

.

Difícil definir o benefício clínico com os achados acima.